28 de junho de 2017

‘Capricho’ de Eduardo Cunha teria emperrado repatriação de recursos no exterior

Eduardo-cunha
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), seria um dos principais entraves da votação do projeto de repatriação de recursos brasileiros enviados para o exterior. O texto foi apresentado no Senado há cerca de quatro meses, após acordo entre os senadores e o governo federal, e visa permitir que o dinheiro de brasileiros no exterior não declarado à Receita Federal possa entrar no país legalmente. “Lá tem três tipos de dinheiro: o da contravenção; tem o dinheiro dos brasileiros que colocaram lá fora e não pagaram o imposto aqui, que tem que ter uma alíquota; e tem aqueles que foram lá pra fora e ganharam o dinheiro honestamente. Então já devia ter resolvido isso há muito tempo”, explicou o senador Otto Alencar (PSD). O problema, segundo ele, é que Cunha não aceitaria que o projeto saísse do Senado para a Câmara. “Isso é um capricho, e nesse momento nós não podemos fazer capricho. Até porque vaidade, orgulho, nariz empinado e intolerância na política é véspera do fracasso”, criticou. A situação, diz Alencar, também foi agravada pela dificuldade de articulação entre Executivo e Legislativo. Segundo o Ministério da Fazenda, a estimativa é que possa haver R$ 200 bilhões de dinheiro não declarado fora do país.

Fonte: Bahia Notícias

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*