26 de abril de 2017

Eduardo Cunha trabalha com reparos na prisão

detido pela Operação Lava Jato em 19 de outubro do ano passado, foi obrigado a trocar o cargo no Legislativo, com direito a assessores, verbas e mordomias como uma residência oficial em Brasília, por um trabalho de até 8 horas diárias na prisão.

Detido pela Operação Lava Jato em 19 de outubro do ano passado, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi obrigado a trocar o cargo no Legislativo, com direito a assessores, verbas e mordomias como uma residência oficial em Brasília, por um trabalho de até 8 horas diárias na prisão.

Ele atua no Complexo Médico Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, nos reparos da estrutura da prisão. Com uma jornada de 44 horas semanais, o político é o responsável pelos reparos no corredor onde está preso, ganhando o direito de reduzir um dia de prisão para cada três trabalhados.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*