26 de abril de 2017

Em carta a funcionários, Odebrecht diz que exposição negativa é necessária

Em carta enviada nesta terça-feira (18) aos funcionários da Odebrecht, a diretoria da empresa pede desculpas "pelos constrangimentos que os relatos dos colaboradores estão causando a vocês e às suas famílias".

 

Em carta enviada nesta terça-feira (18) aos funcionários da Odebrecht, a diretoria da empresa pede desculpas “pelos constrangimentos que os relatos dos colaboradores estão causando a vocês e às suas famílias”.
O texto se refere aos depoimentos de 77 delatores que se tornaram públicos na semana passada, depois que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin determinou a abertura de inquéritos para investigar políticos mencionados nas delações.
“Esta etapa de tanta exposição negativa para a Odebrecht é dolorosa, mas necessária. Nós precisávamos passar por isso. Seria impossível reconstruir a empresa que queremos para o futuro sem enfrentar a realidade de fatos ocorridos anteriormente e que só agora vocês e a sociedade passaram a conhecer”, afirma a carta.
A mensagem, assinada pelo diretor-presidente da Odebrecht S.A., Newton de Souza, diz que os fatos revelados nas delações “estão surpreendendo a todos, inclusive aos nossos integrantes” pela sua “gravidade e abrangência”.
“Gostaria que observassem menos as interpretações superficiais e às vezes agressivas de analistas sobre o comportamento de um ou outro colaborador. Atentem mais, por favor, para o conteúdo dos depoimentos. Eles exibem as nossas entranhas. Mas o conjunto de relatos também expõe ao público um retrato inédito da atuação de governantes e políticos no nosso país”, afirma.
O texto termina apontando medidas que a empresa adotou para “combater e não tolerar a corrupção”. “Temos um novo modelo de governança, com maior número de conselheiros independentes. Aprovamos uma Política de Conformidade mais abrangente e com o mesmo rigor de empresas de capital aberto. […] Este novo modelo de empresa que estamos construindo é monitorado desde o mês passado, inclusive nas movimentações financeiras e contábeis, por especialistas em conformidade [compliance] indicados pelo Ministério Público do Brasil e da Suíça e pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.”
LENIÊNCIA
A carta comemora ainda a confirmação, nesta segunda (17), de um acordo de leniência assinado com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. “Isso significa que não há restrição de qualquer natureza para a atuação da Odebrecht nos Estados Unidos”, diz o texto.
O acerto determina que a Odebrecht pague multa de US$ 2,6 bilhões por ter subornado agentes públicos no exterior. A empresa também firmou acordo semelhante com o Brasil e a Suíça.
Ainda de acordo com o texto, os depoimentos dos delatores fazem parte de um compromisso assumido pela Odebrecht há um ano para “reconhecer erros, pedir desculpas, pagar pelos crimes cometidos e indicar outros responsáveis com apoio de provas; reconstruir a empresa em padrões de ética, integridade e transparência; contribuir para a construção de um Brasil melhor, em que as relações entre empresas privadas e o setor público ocorram sem corrupção”.
Fonte: Bocão News

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*