10 de Abril de 2021

Ricardo Maracajá se planeja para candidatura à presidência do Bahia

Líder da Nova Ordem Tricolor e ex-conselheiro do Bahia, Ricardo Maracajá pretende assumir o cargo de presidente do clube. Em entrevista ao programa BN na Bola, da rádio Salvador FM 92.3, apresentado por Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama, ele explicou como se organiza para se candidatar futuramente e ainda deu sua opinião sobre o atual trabalho do conselho e atuação do Esquadrão.

 

“Eu nunca escondi de ninguém meu sonho e meu desejo de ocupar a cadeira de presidente do Bahia. Está dentro dos meus planejamentos”, admitiu Ricardo. Ele destacou que a influência de casa, por ser neto dos ex-presidentes Paulo Maracajá e Benedito Borges, o incentiva a planejar assumir o cargo. 

 

“Vivi isso dentro de casa, meus avós foram presidentes, nasci com o Bahia, cresci com o Bahia, acredito que um dia vou poder exercer essa função e ter êxito”, completou.

 

Mas o líder na Nova Ordem Tricolor explicou a razão de ainda não ter disputado as eleições do clube em 2020 e ressaltou que está se organizando para tomar a decisão no momento certo. 

 

“2020 não era o momento ainda. Para ser presidente do Bahia é preciso abdicar de muita coisa, se organizar tanto na vida pessoal, quanto profissional, não é uma decisão simples de ser tomada e não pode ser tomada da noite pro dia”, pontuou. “Exige organização prévia e planejamento e eu estou fazendo isso para chegar nesse lugar”, completou.

 

Ricardo Maracajá aproveitou para comentar sobre a intervenção de democratização do clube e como isso ainda afeta a organização do Bahia até hoje. Ele ainda deixou uma mensagem aos torcedores do Tricolor dizendo que, pelo fato da agremiação ter demorado para iniciar as mudanças a partir da intervenção, é preciso ter paciência para alcançar as melhorias. 

 

“Acho que a intervenção foi muito tardia. Se tivesse acontecido antes, a conjuntura do clube já seria outra hoje. O Bahia teve que recuperar muita coisa que ficou perdida e está tendo que se organizar até hoje, lidando com essas dívidas que ficaram do passado, os prejuízos financeiros que foram deixados, e isso gerou um baque grande nas finanças do clube que está se reorganizando. E, querendo ou não, o torcedor precisa entender que a gente ainda está num processo de reorganização e o processo ainda não está finalizado”, complicou o ex-conselheiro.

 

Um dos avanços que ele destacou como importante na atual organização são as reuniões exigidas pelo conselho com a diretoria para alinhar problemas e cobrar resoluções. 

 

“Acho que o conselho deu um passo a mais. A gente tornar isso institucional, fazer uma reunião periódica sobre futebol com o conselho, vai não só fiscalizar, mas pressionar mesmo por uma busca incessante por um resultado positivo porque a diretoria vai ter que ir lá se mostrar ao conselho e dar um feedback”, destacou. 

Por fim, Ricardo Maracajá falou sobre a situação atual do Esquadrão de Aço e ressaltou que a falta de um período de preparação entre temporadas prejudicou a equipe. 

Acho que o time precisa de reformulação e o Bahia está passando por essa transição. Infelizmente, as temporadas 2020 para 2021 não tiveram um período adequado de transição, então o Bahia está tendo que fazer isso no meio da competição, e, com isso, está sofrendo com os resultados em campo e sendo tão irregular”, finalizou.

 

 

Fonte:Bahia Notícias 

 

Whatsapp

Galeria

Barcelona finaliza contratação de Neymar, diz TV
Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Ver todas as galerias

Artigos