25 de Maio de 2018

Ex-mulher acusa governador da Paraíba de agressão e pede medida protetiva ao STJ

A ex-primeira-dama da Paraíba, Pâmela Bório, protocolou no Superior Tribunal de Justiça (STJ) uma medida protetiva urgente contra o seu ex-marido, Ricardo Coutinho (PSB), governador do estado. Segundo informações do jornal O Globo, ela o acusa de ter praticado crimes da Lei Maria da Penha. A defesa de Coutinho nega as acusações. Ele foi notificado na segunda-feira (15) e tem cinco dias para prestar esclarecimentos. Apenas em seguida o STJ deve decidir se vai conceder o pedido da ex-primeira-dama. O caso corre em segredo de Justiça. Por meio do Instagram, Pâmela relatou que sofria violência enquanto era casada com Coutinho e que as agressões continuaram mesmo após a separação, em 2015. "Sofri enforcamento e me foram quebrados dentes! Para isso, mandou policiais me sequestrarem para dentro da granja onde os crimes aconteceram", escreveu na rede social. "O governador chutou minhas muletas, me xingou e me ameaçou: 'você vai ver o que é um doido'. Em outro episódio, puxou meu braço dentro da residência e me ameaçou com 'pena capital', segundo suas palavras", relatou a ex-primeira-dama em outro momento do texto. Os episódios teriam acontecido meses depois do divórcio. De acordo com a defesa do governador, Pâmela será candidata nas eleições deste ano e por isso quer prejudicar o ex-marido politicamente. “Essas acusações proferidas por ela são antigas e o governador já acionou ela por calúnia, difamação e injúria. A verdade é que, passado todo esse tempo, ela não conseguiu provar nada. Agora, ela juntou todas essas acusações para pedir medidas protetivas ao STJ”, disse o advogado de Coutinho, Sheyner Asfora, em entrevista ao jornal O Globo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bahia notícias

Whatsapp

Galeria

Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Apresentações e treinos no Vitória
Ver todas as galerias

Artigos