14 de Dezembro de 2018

Procuradoria denuncia esfaqueador de Bolsonaro por ‘inconformismo político’

O agressor do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, foi denunciado pelo Ministério Público Federal hoje (2) por “atentado pessoal por inconformismo político”.

 

O agressor do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, foi denunciado pelo Ministério Público Federal hoje (2) por “atentado pessoal por inconformismo político”.

De acordo com o Estadão, o MPF seguiu o entendimento da investigação conduzida pela Polícia Federal e enquadrou o agressor no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional. 

Bolsonaro foi golpeado no dia 6 de setembro quando fazia campanha no centro de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Ele foi operado na cidade mineira e depois transferido para Hospital Albert Einsten, em São Paulo, onde passou por uma segunda intervenção cirúrgica. O candidato recebeu alta no último fim de semana e está em recuperação na residência dele, no Rio de Janeiro.

“Adélio Bispo Oliveira agiu, portanto, por inconformismo político. Irresignado com a atuação parlamentar do deputado federal, convertida em plataforma de campanha, insubordinou-se ao ordenamento jurídico, mediante ato que reconhece ser extremo”, afirmou o procurador Marcelo Borges de Mattos Medina.

Para o MPF, o esfaqueador quis excluir Bolsonaro da disputa eleitoral de modo a “determinar o resultado das eleições, não por meio do voto, mas mediante violência”.

Na acusação, que pode resultar em uma condenação de até 20 anos para Bispo, o MPF afirma que o agressor planejou o ataque a Bolsonaro desde o dia em que soube pelos jornais que ele estaria em Juiz de Fora.

 

Whatsapp

Ultimas notícias

Galeria

Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Apresentações e treinos no Vitória
Ver todas as galerias

Artigos