29 de abril de 2017

Suíça acelera devolução dos desvios da Petrobras

Paulo Roberto Costa mantinha cinco contas no paraíso fiscal / Pedro Ladeira/Folhapress

A Justiça da Suíça aceitou o pedido dos procuradores brasileiros que integram a equipe de investigações da Lava Jato e será acelerada a devolução dos 26 milhões de dólares depositados nas contas dque o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa mantinha no paraíso fiscal.

Trata-se do maior valor a ser repatriado em toda a história de casos de corrupção com cooperação internacional. As autoridades suíças haviam se comprometido em devolver o dinheiro obtido ilegalmente com a condição de que Costa não recebesse nenhuma parte da quantia.

No dia 26 de maio, procuradores suícos informaram por meio de um documento que haviam bloqueado 23 milhões de dólares das contas do ex-diretor de Abastecimento. Os outros 3 milhões teriam sido encontrados depois desta data, o que pode significar que Costa movimentou a conta mesmo depois de a Lava Jato ter sido deflagrada, em março.

As autoridades da Suíça também se comprometeram em devolver ao Brasil 5 milhões de dólares localizados em contas do doleiro Alberto Youssef. Tanto Costa como Youssef afirmaram que devolveriam os valores desviados da estatal ao firmar o acordo de delação premiada.

Procuradores do Ministério Público Federal viajaram para a Suíça no início desta semana. Eles também solicitaram às autoridades do país cópias dos extratos bancários das contas de Paulo Roberto Costa. Os documentos devem comprovar a participação de outros investigados no esquema.

Existe a possibilidade de a Polícia Federal cumprir novos mandados de prisão a executivos de empreiteiras suspeitas de envolvimento no caso assim que os procuradores retornarem da viagem.

Segundo as investigações da Lava Jato, os executivos combinavam quais as empresas participação das licitações e concorriam aos processos com os preços máximos permitidos. Em troca da garantia do contrato os empresários pagavam propina a diretores da Petrobras e a agentes políticos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*