26 de maio de 2017

Tite conta com clubes brasileiros para analisar rivais

A comissão técnica vai pedir o auxílio dos setores de análise de desempenho das agremiações para monitorar cada uma das demais 31 seleções que estarão no Mundial

O projeto da diretoria de seleções, batizado de “Plano de Observação de Possíveis Adversários da Copa”, já recebeu aval do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. Agora, a comissão técnica irá em busca da adesão dos clubes. “O Tite gostou muito da ideia. Agora vamos começar a conversa com os clubes. Ainda precisamos ver todas as possibilidades, mas a ideia é premiar o cara levando para a Copa, para nos ajudar lá também”, contou o coordenador de seleções, Edu Gaspar.

 

O projeto da diretoria de seleções, batizado de “Plano de Observação de Possíveis Adversários da Copa”, já recebeu aval do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. Agora, a comissão técnica irá em busca da adesão dos clubes. “O Tite gostou muito da ideia. Agora vamos começar a conversa com os clubes. Ainda precisamos ver todas as possibilidades, mas a ideia é premiar o cara levando para a Copa, para nos ajudar lá também”, contou o coordenador de seleções, Edu Gaspar.

Serão acionados os clubes da Série A e alguns da Série B. É provável que agremiações com uma estrutura maior sejam convidadas a “adotar” mais de uma seleção. Além de buscar maior integração com os clubes, a iniciativa visa resolver um problema prático, já que a CBF sozinha não teria condições de elaborar dossiês sobre todas as seleções do Mundial. O sorteio dos grupos da Copa será somente em dezembro.

PLANEJAMENTO – A comissão técnica da seleção espera confirmar a sua base de treinamento na Rússia até setembro, quando serão definidos os primeiros classificados das Eliminatórias Europeias. É o mês considerado ideal porque os locais reservados por seleções que acabarem não conseguindo a classificação ficarão vagos. Segundo Edu Gaspar, “todas as principais equipes” já indicaram à Fifa onde pretendem ficar baseadas. O Brasil sugeriu dois lugares, que seguem sob sigilo.

A maior preocupação da comissão técnica é com a estrutura oferecida, não com as distâncias. “Os locais mais afastados ficam a pouco mais de duas horas de voo. Deslocamento não nos preocupa”, garantiu Edu Gaspar.

Já está definido que o Brasil fará a primeira parte da preparação para o Mundial em Teresópolis (RJ). Depois, a seleção passará por período de aclimatação em algum país europeu antes de desembarcar na Rússia.

Até a Copa, a seleção deverá realizar mais 11 partidas. Além dos amistosos contra Austrália e Argentina, no próximo mês, e dos últimos quatro jogos das Eliminatórias Sul-Americanas, o técnico Tite terá dois amistosos em março do próximo ano – um deles diante da Alemanha, em Berlim – e um antes da convocação definitiva, em maio. Um dos jogos deverá ser diante da Rússia, no país da Copa.

 

 

 

 

 

Fonte: Band

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*