23 de junho de 2017

DELAÇÃO JBS: Deputado João Bacelar, (PR) procurou Joesley da JBS para pedir propina para comprar deputados para evitar Impeachment da então presidente Dilma

Foto divulgação

 

 

Em delação premiada, o dono da JBS afirmou que o Deputado Federal João Bacelar (PR) o procurou para pedir dinheiro para comprar 30 deputados federais para votarem contra o impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Segundo Joesley, o valor foi liberado apenas para cinco parlamentares. O dono da JBS delatou que Bacelar pediu R$ 3 milhões para cada um dos trinta deputado federal. o total seria R$ 90 milhões. O empresário delatou que liberou apenas R$ 15 milhões para dividir entre cinco deputados federais.

Segundo o site O GLOBO, em outra situação, Bacelar foi acusado de beneficiar prefeituras baianas em esquema do deputado e logo contrataram as três empreiteiras ligadas a ele.

Empreiteiras ligadas ao deputado João Carlos Bacelar (PR-BA) foram contratadas para obras milionárias em prefeituras que receberam emendas parlamentares de seu esquema. O indício de direcionamento foi constatado a partir de um levantamento das empresas contratadas pelas prefeituras listadas na tabela que Bacelar usava para acompanhar o andamento de emendas. Os municípios baianos de Casa Nova, Barro Alto e São Gabriel contrataram três empreiteiras ligadas ao deputado: a Embratec, a Construtora Xavante e a MAF Projetos e Obras.

Fundada pelo pai de Bacelar, a Embratec é dirigida pelo deputado desde 2007. Em maio do ano passado, a prefeitura de Barro Alto contratou a empresa por R$ 2 milhões para realizar obras de pavimentação no município. Como mostra a tabela de Bacelar, o deputado Fernando de Fabinho (BA) direcionara, quatro meses antes, uma emenda parlamentar de R$ 4 milhões para a cidade.

São Gabriel, na Bahia, deu obras para a Embratec

O contrato com a Embratec acabou sendo anulado em outubro passado, uma semana após surgirem as primeiras revelações das irregularidades de Bacelar.

PUBLICIDADE

Em abril do ano passado, outra prefeitura beneficiada pelas emendas do grupo contratou a Embratec. O município de São Gabriel escolheu a construtora por R$ 2,34 milhões para uma obra de recuperação de estradas vicinais. No mesmo mês, e por R$ 2,28 milhões, a prefeitura contratou a Construtora Xavante para obras parecidas.

A Xavante têm antiga relação com a Embratec. Lílian Bacelar, a irmã do deputado que trava com ele uma disputa por herança, conseguiu documentos que revelam intensa movimentação financeira da Embratec para os donos da Xavante.

Meses após receber as duas emendas, totalizando R$ 4,6 milhões, Bacelar retribuiu. Em um ofício para a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), o deputado informou que estavam sendo destinados R$ 2 milhões em emendas para a cidade.

A suspeita sobre direcionamento de verbas já havia sido levantada pela ex-mulher do deputado, Isabela Suarez, em conversa gravada com Lílian Bacelar. Segundo Isabela, além de direcionar emendas para a própria empresa, o deputado destinava os recursos, também, para a empresa do engenheiro Marcelo Farias, dono da MAF Projetos e Obras.

Fernando de Fabinho pediu verbas para Casa Nova (BA)
No dia 30 de janeiro do ano passado, na antevéspera de sua despedida da Câmara, o então deputado Fernando de Fabinho (BA) enviou um ofício à Codevasf solicitando que ela alocasse R$ 4 milhões no município de Casa Nova. Quarenta dias depois, a empreiteira MAF Projetos e Obras Ltda assinou um contrato para fazer obras de R$ 3,6 milhões na cidade.

Mas o fluxo de recursos não se encerrou aí. Em agosto, o deputado Geraldo Simões (PT-BA) destinou outros R$ 3 milhões para Casa Nova — onde, vale lembrar, teve apenas quatro votos na eleição de 2010. Os recursos de Casa Nova, no entanto, acabaram contingenciados pelo governo.

Procurado pelo GLOBO na semana passada para comentar a realização de obras públicas pela Embratec e suas relações com os donos da MAF e da Xavante, João Carlos Bacelar se negou a responder.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*