21 de Junho de 2021

Aumento recorde dos casos de Covid-19 acende sinal de alerta em Feira de Santana; hospitais têm 100% de ocupação de UTI

A alta nos casos de Covid-19 em Feira de Santana, cidade que fica a cerca de 100 km de Salvador, preocupa profissionais que estão na linha de frente de combate à doença. Na quarta-feira (9), a cidade registrou 6.098 casos ativos, um recorde desde o início da pandemia.

Na última terça-feira (8), o município já havia batido outro recorde, com 452 casos confirmados de Covid-19 em 24h. De acordo com Melissa Falcão, do Comitê de Combate ao coronavírus de Feira de Santana, desde o mês de março deste ano a cidade contabiliza mais de mil novos casos confirmados por semana.

"A medida que esse número de casos aumenta, o número de mortes também vai aumentar. Nós estamos em um período crítico da pandemia, esse vírus se supera em cada fase. Desde março, estamos com mais de mil casos semanais. Duzentas pessoas de cada mil desses casos vão precisar de internação, e 1,8% a 2% vão morrer. É muita gente, e a tendência é de alta”, disse.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta quinta-feira (10), Feira de Santana tem 6.062 casos ativos da doença, e contabilizou mais 209 novos casos em 24h. Desde o início da pandemia, 767 pessoas morreram vítimas da Covid-19.

Entre as pessoas que tiveram diagnóstico positivo para a doença na cidade é o administrador Wallason Bastos. Ele e o filho de 11 anos tiveram Covid-19, e por isso o administrador precisou ser internado.

“Três, quatro dias depois do diagnóstico eu já estava com falta de ar. Foi quando fiz esse teste o PCR, e três dias depois já estava sendo encaminhado para o hospital com 40% a 50 % do pulmão comprometido”, recorda Wallason.

Os recordes refletem na taxa de ocupação da rede pública de saúde da cidade. Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Dom Pedro estão lotados desde a inauguração, que aconteceu em maio. Em outra unidade, no Hospital de Campanha, a ocupação dos UTI também é de 100%, desde fevereiro.

No Hospital Geral Clériston Andrade, desde novembro, os leitos clínicos e de UTI estão oscilando em quase 100% de ocupação. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até quarta, 131 pessoas estavam internadas na unidade e outras cinco pessoas aguardavam uma vaga no hospital.

"Estão chegando pacientes mais jovens, acometidos pelas novas variantes do vírus, e chegando extremamente graves, com mortalidade aumentada e com quadros que se arrastam com dependência de ventilação mecânica por dias e até semanas”, disse Lúcio Couto, coordenador de UTI da unidade.
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), entre 7 de maio e 10 de junho, Feira de Santana solicitou 351 leitos clínicos e de UTI para a Central Estadual de Regulação da Bahia.

Feira de Santana foi o primeiro município a registrar caso positivo da Covid-19 no estado, no dia 6 de março do ano passado.

Whatsapp

Galeria

Barcelona finaliza contratação de Neymar, diz TV
Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Ver todas as galerias

Artigos