26 de Fevereiro de 2021

Novo procurador-geral do Rio de Janeiro decide controlar apurações sensíveis no MP

O novo procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Luciano Mattos, decidiu controlar os desdobramentos de investigações sensíveis do Ministério Público - como o homicídio da vereadora Marielle Franco (PSOL) e a investigação de corrupção contra o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Isso acontece enquanto reformula a atuação dos grupos responsáveis por conduzi-las. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, uma nova resolução do MP-RJ exige uma autorização expressa de Mattos para qualquer nova demanda judicial dos grupos especializados, inclusive pedidos de prisão e oferecimento de denúncias. Inicialmente, a medida valia por apenas 15 dias, mas foi estendida até abril. 

A determinação afeta diretamente investigações conduzidas pelo Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) e pelo Grupo de Atuação contra o Crime Organizado (Gaeco). O Gaecc é o mais afetado neste período de transição. Dos 22 promotores, ficou apenas uma para conduzir os casos anticorrupção. 
 

 

 

Foto: Reprodução 

Fonte: Metro1  

 

Whatsapp

Galeria

Barcelona finaliza contratação de Neymar, diz TV
Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Ver todas as galerias

Artigos